·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Coração gelado - Parte I


POR TONY KUTCHER
27 de setembro de 1967

A batida na porta me fez voltar a realidade vendo meu reflexo no espelho da penteadeira recoberta com lâmpadas. Pelo espelho a vi no vão da porta com um enorme sorriso me acenando. Aqueles olhos me faziam vaguear. Virei a cadeira para vê-la de frente. Eu tinha muita sorte de encontra-la antes que meu sonho se tornasse realidade. Sempre me perguntei se ela não se cansava de ficar nos bastidores me vendo cantar para centenas de pessoas todas as noites.
- Estão te esperando. – contou Jullie fechando a porta – Jenx está nervosa.
- E quando ela não está? – perguntei me levantando.
Abracei-a pela cintura sentindo o cheiro de seu cabelo. Senti um aperto no coração como se fosse a última vez que iria a ver feliz desse jeito. Besteira. Olhei-a nos olhos colocando minhas mãos em seu rosto.
- Tenho uma surpresa para você. – contei.
- O que? –perguntou ela retirando minhas mãos de seu rosto para segurá-la – O que é?
- Preste atenção no show e você saberá. – respondi.
Beijei-a carinhosamente. Segurei sua mão e abri a porta. Ao passar por ela comecei a ouvir gritos das pessoas. Adorava aquele som. No fim do corredor avistei Budd rodando as baquetas entre os dedos entrando no palco. Em seguida Sony entrou fazendo solo com o baixo junto com Fang no teclado. Jenx olhou para trás enquanto colocava a alça da guitarra. Seu olhar estava triste. Ela bagunçou o cabelo e entrou gritando e pulando.
- É a minha vez. – disse desanimado – Te amo. – disse beijando-a – Não se esqueça, preste atenção. – pedi me afastando correndo.
Vi seu aceno distante e um pequeno sorriso surgir em seu rosto. Respirei fundo e entrei no palco. Uma luz forte ofuscou meus olhos enquanto os gritos desesperados da multidão invadiram meus ouvidos. Gritavam meu nome. Cobri meus olhos com o punho e ao baixar a mão vi o estádio lotado e um microfone ao meu lado.
- Boa noite!!! – gritei ao pegar o microfone – Nós somos o Retray!
Olhei em direção a saída e lá estava Jullie encostada no batente mexendo em seus cabelos encaracolados que eu tanto gostava. Ela mal sabia o que eu iria fazer esta noite na frente dessa multidão.
Jenx começou a tocar sendo seguida pelos outros. Sempre me perguntei porque começávamos com a mesma música. Logo as pessoas iriam se cansar disso.
♫ Once a life time – Canta aí galera – No, Now that I found you, when eye in its eyes ♫
Virei-me para a saída apontando para Jullie que sorriu. Corri para o lado de Jenx e comecei a pular. Apontei o microfone para ela que começou a cantar o refrão.
♫since the first time that I saw you, I wise person who was love, its eyes had made me to see, that it would only be happy if it had you. ♫
___________________________________________
se gostarem me digam, pois tem continuação. É tipo um 'livro que escrevi quando não tinha nada pra fazer'. O prólogo tá ai do lado.
------------------------------------------------------------
Tem postagem nova minha Reciclagem de idéias. e no palavras andantes .. Passem lá

6 medos:

Flor disse...

Q lindo! Quero continuação! rsrs...

'cary. disse...

aaaaaaaaaaaah, continua (tan-nam-nam) continua (tan-nam-nam) *-*
tá muito mara, e preciso saber como é a continuação dessa história :)

beijos *:

Tay disse...

oi!
continua sim! adorei o incio da história e jah ficuqie morrendo de curiosidade pra saber o resto!!

beijo :**

Gabriela disse...

ain continua siim amiga,
vou amar lêr, ;D
e sobre a epidemia, rs.
é temporária,! daki a pouco volto aa escrever com a mesma impolgação de antes, ´so um tempo pra colocar as ideias em seus locais,!
beijoos amigs, :DDD

Living life disse...

Continuaçãoo...
Adoreeei flor. hehe

Gabriela disse...

amay a foto do dii *-*