·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Sensível ao toque

A pele se arrepiava facilmente ao simples encontar das mãos. Ao sentir seus braços em volta de meu corpo, mais parecia que meu coração pararia de bater. A minha inocencia me fazia acreditar que se eu parasse de respirar tudo ficaria melhor, ele não escutaria minha respiração irregular. Mas se isso acontecesse nunca mais sentiria o quão quente era suas mãos nas minhas tão frias.
A lua lá no alto do céu me gritava para ser feliz. Mas como poderia, agora que sabia que os momentos mais perfeitos acabam em menos de dois segundos?
Ao olhar para cima fitei seus olhos que agora me olhavam, eram tão calmos. Como ele conseguia? Quando seu rosto tocava o meu, tudo parava. Seus olhos me traziam muita segurança, algo que há tempos não sentia. Quando sua mão tocou meus cabelos, uma sensação engraçada apareceu dentro de mim. Com minha cabeça em seu peito ouvia as lentas e rapidas batidas de seu coração, o som mais lindo que já ouvi em minha vida.
Suas palavras soavam tão calmas e cheias de vida em meu ouvido que parecia que um anjo falava comigo. Parecia possivel, já que estava no céu.
Meus pensamentos eram arrancados de mim no momento que sentia que ele estava perto, não havia outra coisa que eu queria pensar, se não nele.
Seu perfume me hipinotizou, me imbreagou, fiquei dependente. Nunca senti algo tão maravilhoso e com um som insurdecedor tudo teve que acabar.
Quinze minutos voam. Não avisam quando têm de partir.

4 medos:

Living life disse...

Adoreei flor.. o textoo!
seeu blog é muitoo fofo!

sucesso

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

shoe, o texto ;*

ah, quando postar no andantes palavras, se poder divulgar . Obrigada =)

Living life disse...

tudoo muito lindoo flor :]

Yasmin disse...

Verdade, tudo que é excepcionalmente bom dura muito pouco, tão pouco que chega a ser injusto. Mesmo que na realidade tenha levado tempos, parece que foi pouco.