·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Rosas vermelhas


Cada pingo de chuva que via caindo na janela me fazia lembrar de dias tristes, chatos a frente da tv. A casa estava vazia aquele dia, tirando o fato de que eu era a única alma a perambular por ela. O que havia de errado comigo? Antigamente a chuva era um simples sinal de alegria onde eu poderia correr rua abaixo e pular nas poças d'águas com galochas pretas e rodopiar de boca aberta tentando descobrir da onde vinha tanta água.
Acabou que cresci. A felicidade agora me visita de vez enquando e nunca deixa algum presente que me faça levantar do sofá e abrir a janela para gritar aos quatro ventos de alegria. Essa época de berros na janela se foram.
Aparentemente a vida parece amarga, sem gosto. Os canais de tv reprisam os mesmos filmes. Droga de tv a cabo! Os amigos desistiram das visitas, os parentes perderam o número de telefone. A única amiga era o pote de sorvete de creme escondido ao fundo do freezer.
Mas jurava que ouvi a campainha tocar. Havia séculos que não ouvia esse som estridente.
Deixei a colher de lado e saltei da bancada da cozinha. Quem poderia ser a uma hora dessas? Me arrastei até a porta de entrada enfadada. Não estava com paciência para vendedores metidos à besta ou moleques que saiem correndo ao apertar o pequeno botão.
Olhei pelo olho mágico e nada pude ver além de um vermelho berrante. O que seria? Uma piada de mal gosto, onde crianças penduraram um papel com dizeres horrorosos? Virei a chave e abri a porta calmamente ao ponto de gritar com quem fosse. Não pude. Me faltou palavras e o ar.
Ali parado a minha frente estava aquela pessoa que sempre dissera não me abandonar, com flores que jamais esperei ver. Rosas, milhares de rosas vermelhas em seus braços.
Senti uma pequena lágrima descer pelo meu rosto. Finalmente pude descobrir que o que ele dissera era a plena verdade. Porque tive de ser tão boba e me dexar envolver pela estranha monotonia? Ele sempre dissera a mim que voltaria.
Dentro de mim tenho uma vontade encontrolaveu de berrar pela janela, de correr rua a baixo enquanto chove, pular nas poças d'águas e rodopear de boca aberta tentando entender da onde vem o amor.
---------------------------------------------------------
texto tonto admito, mas foia aúnica coisa que consegui expremer da minha caixola.

4 medos:

Avassaladoras Rio disse...

Querida amiga avassaladora... Parece vermelho paixão... espero que imersa na realidade multicolorida.

Nana disse...

que liindoo *-* amo romances e a foto ta perfeita tbm.muito meigo o post ^^

Isabela Seixas ;) disse...

lindooooooooooooooooooo!
por mais que ache lindo romances, não consigo expresá-los :S

Marie disse...

Não foi bobo, Cris!!
Lindo de morrer.
Até eu senti vontade de correr pela chuva para tentar entender de onde vem o amor.