·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Colegial II


Meus pés atrapalhados tomaram a iniciativa por mim, indo em direção as portas de sala de aula. Foi a primeira vez que apenas dez passos pareceram ser a maratona da São Silvestre. O silênico me incomodava, mas eu não queria dizer nada.
Quando por fim cruzamos a porta para as salas de aula me vi aliviada por finalmente poder entrar na minha sala e fingir que estava dormindo para que os garotos bocós não me atazanassem mais.
- Então, qual é a sua sala? - perguntei apressada parada em frente a minha nas pontas dos pés agarrada no alça da minha bolsa.
- Hm. - disse ele pegando um pedaço de papel empaçocado no bolso - Sala 15.
Uma onda de infelicidade me invadiu completamente. Ele seria outro garoto bocó que me atazanaria o resto do ano. Porque santo Deus da batata ele tinha de ficar na minha sala?
- Algum problema? - perguntou ele guardando o papel.
- Não, nenhum - respondi num sussurro quase inaudivel ao entrar na sala.
- É a sua sala também. - pude ouvi-lo dizer enquanto me arrastava até a ultima carteira - Hei posso me sentar ao seu lado?
Eu simplesmente estava pagando pelos meus pecados com isso.
- Hã...Pode sim. - respondi ainda de costas para ele retirando a bolsa.
- Esse ano vai ser bom. - riu ele sentando-se ao meu lado todo sorridente. - Qual o seu nome afinal?
- Maristela. - respondi tampando o rosto de vergonha do meu nome. - Por favor, não ria.
Não houve som algum. Apenas a minha respiração rápida quebrava o silêncio. Por que ele não estava rindo? Meu nome é completamente ridiculo e feio.
- Diferente. - respondeu ele - Diferente.
Não respondi. O que eu iria dizer? "Qual é, é o nome mais pavoroso que você já ouviu na vida, admita."? Não teria cabimento algum.
- Então...você tem namorado? - perguntou ele debruçado na carteira me fitando.
- Não. - respondi quase rindo da pergunta. Quem em sua santa consciencia me namoraria?
- Pena. - murmurou ele - Quer sair esse final de semana?
- Hã? O que você está tentando fazer?
- Estou te convidando para sair. - disse ele se endireitando na cadeira ao ver os outros alunos entrarem na sala. - Então, o que me diz?
- Tudo bem.
Minha cabeça desviou dos olhares incomuns dos alunos que entravam na sala e se sentavam ao nosso redor. Por que todo mundo insistia em me encarar? Claro! Por que o garoto ao meu lado era quase que oficialmente o cara mais lindo do face da terra.
- Sábado as 8h?
- O.k - confirmei.
____________________________________
Peço desculpa a todas as Mristelas pelo feio e ridicula referidos ao nome.
A continuação ficou uma desgraça graças ao fato de minha inspiração ter sumido.
Então... farei uma terceira parte para que o estrago desse não fique tão evidente.

8 medos:

gardeniaM disse...

aaa, gostei beibe :D

Blanca disse...

Também acho estranho, mas devo admirtir que serei pottermaníaca até os 90! xD

Bjs!

Vanessa Alves disse...

obrigada pela boas vindas...

:)

Bianca Ribas disse...

Mais, mais , maisss

Bianca Ribas disse...

Caramba. Vc escreve mto bem. Tah de parabens e o blog eah marah. Umdos meus favoritos

Bruna Rodrigues disse...

Gostei, vc é boa em criar diálogos. Eu sinto que todos os que eu crio soam ridículos.


obg pela visita.


=)

@Fakelicious disse...

Realmente, os diálogos estão muito bons .-.

Lôoh Toledo disse...

Oi amiga *---*

po também to querendo um Fê daquele amiga, se eu arranjar te falo kkkkkkkkk'


__________________________________

A eu gostei continua vai, to na expectativa *---*
uhuhl os textos da Chris são os melhores õ/

bejos
D: