·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




terça-feira, 30 de março de 2010

Casa de Campo: The finished


Aqueles olhos estavam cerrados me encarando com um sorriso no rosto enquanto batia em uma das mão um pedaço longo de madeira cheia de farpas. Com a raiva que eu tinha dentro de mim, poderia ali mesmo voar para cima dele e o matar a marteladas antes que ele se desse conta do que estava acontecendo.
Saí me arrastando do porão com as mãos cheias de areia segurando o martelo ensanguenatdo esperando que ele viesse para cima para acabar com aquele terror.
Me indireitei a alguns passos na frente dele respirando fundo tentando ficar calma naquela situação que poderia definir minha vida ou minha morte. Eu só teria tempo para correr. Mas, correr para onde?
Ali ao meu lado havia um pequeno caminho que tinha avistado quando chegamos na tarde passada que levava a um rio com um longo gramado a sua volta que acabava em uma floresta. A estrada por onde tinhamos vindo, se perdia em uma trilha cheia de cascalhos e burracos por mais ou menos dois quilometros até chagar na rodovia. Não aguentaria correr dois quilometros nem que isso dependesse da minha sobrevivencia.
Apertei o martelo em minha mão sentindo o sangue escorrer pelos meus dedos enquanto ele começava a rir. Era uma gargalhada alta. Uma gargalhada fatal como se fosse de uma vitória.
Com medo dei dois passos a minha frente parando quando ele abaixou a cabeça me fitando estendendo a madeira para o chão com os punhos cerrados.
- Porque você está fazendo isso? - me atrevi a perguntar com a voz falha.
- Você tem certeza de que não sabe? - questinou dele vindo em minha direção lentamente - Você não é burra Mallu. - disse parando ao meu lado de frente para o porão, o que me deu mais medo porque o cara que estava lá estirado no chão poderia se levantar e me aplicar uma chave de braço. - Mas, você acha que eu não posso ver. - sussurrou ele em meu ouvido retirando algumas mechas do meu cabelo do ombros para beijá-lo - Você estava lá como sempre com aquele sorriso olhando-o como nunca me olhou. - fungou em meu pescoço.
- Do que você está falando? - perguntei quando parou em minha frente.
- Ora do que eu estou falando! - gritou ele abrindo os braços - Eu queria que isso não acontecesse. Bem que eu queria, mas não consigo fazer com que isso pare. Você não seria a primeira nem a última. Todas iguais.
Ele soltou o ar dos pulmões e voltou a me olhar soltando a madeira no chão.
- Eu te dou dois minutos. - continuou. - Dois minutos para correr. Dois minutos para se lembrar do que me fez e então eu irei atrá de você e acabarei com a dor.
Antes que ele pudesse acabar de falar deixei o martelo escorregar entre os dedos e me pus a correr para o rio, passando ao seu lado até chegar a frente da floresta. Eu não podia ouvir seus passos, nem a minha respiração. Eu estava perdida, era o meu fim. Me embrenhei entre as árvores sentindo minha pele se cortar nos galhos. Foi então que o chão se perdeu sob os meus pés e senti meu rosto sobre as folhas e algo quente escorrer nele. Passei a mão na cabeça vendo-a vermelha. No minuto seguinte aqueles pés estavam parados a minha frente.
-Essa foi a ultima vez. - foi a últma coisa que ouvi
_____________________________________________
Em cinza trecho da musica: Decode do Paramore
Visitem o novo projeto do qual faço parte: remember the sunshine.

7 medos:

Carolzinha_Hermanas. disse...

história super emocionante *_*

EU AMEEEEEEEIII :D

-
Beeeeijinhos <3

carolina disse...

ADOREI! *-*

Seu blog também,é fofo!

Erica Lopez disse...

eu A-M-E-I
juro que quando li,ja lembrei de decode,vou ler us ultimos posts pra entender melhor a historia.

Monique Premazzi disse...

ACABOU!
Amei demais esse conto, você escreve tão bem. Parabéns pelo talento *-*

Quero mais contos assim, beijos
xx

Things to love' disse...

Aii meu, adorei *---*
li a primeira parte a uns dias atras e não deu pra entrar pra ver se tinha as outras, li as outras agora e definitivamente ameii *o*

beiijo, e continue escrevendoo assim. :D

Patrícia disse...

Eu não li as primeiras partes, mas vim aqui desisperada ler o final! AMEEEI! Parabéns, você escreve mt bem!

saudeecompanhia disse...

Adorei, a forma como você escreve consegue prender a atenção das pessoas do começo ao fim.
Sucesso com o blog!