·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




sábado, 13 de março de 2010

Emboscada

- Preciso muito de sua ajuda. - falou ele - Algo deu errado e não tenho como sair. - murmurou do outro lado da linha.

Desliguei o telefone e sai do carro para a penumbra da noite sem estrelas onde ventava muito e meus cabelos se esvuaçavam por cima do sobretudo preto ao atravessar a rua e parar a frente daqueles portões altos de ferro cercado de câmeras que já estavam desligadas. Olhei a sua volta examinando por onde ele entrara. Miguel era muito burro, o plano era simples e facil e ele o transformara em um momento de terror, onde gostaria muito de ligar o carro e largá-lo a própria sorte.
Dei alguns passos ao lado do muro coberto com musgo e vi aqueles pinos que ele plantara para poder subir e pular sem problemas. O problema viria na hora de arrancá-los sem que ninguém ouvisse o barulho de concreto quebrando em meio a madrugada. Apoiei meu pé no primeiro pino agarrando-me a parte superior do muro por onde via um longo lardim florido com esguichos ligados e todas as luzes da casa de dois andares apagadas. Pulei o muro observando as janelas um ponto de luz mostrando onde Miguel estaria.
Contornei a casa parando nos fundo onde havia uma treliça por onde ele subira até o segundo andar entrando pela janela do escritorio. Entrei pela janela sentindo meu celular vibrar novamente.
- Mia, cadê você? - perguntou Miguel num sussuro.
- No escritorio. - respondi analisando a estante cheia de livros, correndo os dedos pelos vastos nomes - Qual o problema?
- Saia da casa. - ordenou ele - Saia já.
Parei a frente da porta antes de tocar na maçaneta ao ver uma sombra em baixo dela. Recuei lentamente desligando o celular. O plano dera errado. Havia mais alguém na casa e não era Miguel. Passei pela janela descendo a treliça e corri pelo jardim parando no muro ao ouvir um tiro. Apoie-me nos pinos atravessando muro desejando que Miguel tivesse atirado e não o contrario. Respirei fundo parando na calçada dando uma última espiada no portão de ferro quando percebi que uma pequena luz vermelha das câmeras estavam ligadas. Meu celular vibrou, era Miguel.
- Eu sei quem é você. - disse a voz rouca do outro lado da linha - Agora é a sua vez.

14 medos:

ju_limewire disse...

Parece até filme de terror... Adorei esse post, ficou ótimo mesmo.
*_*

Fernanda disse...

parece filme de terror [2]

Gabriela Magalhaes disse...

noussa,
muiito massa,!
parece mesmo filkme de terro, ta otimo!
lindo o blog,! :*

Jéssica Trabuco disse...

Nooooooooossa *--*
VC precisa continuar isso hein? ;)
E me aviiise! =]

Tássia disse...

Realmente essa história tem que ter continuação..
Adorei..

Beeijos.

isabela branco disse...

Vai continuar? *-*

Lôoh Toledo disse...

aii que medo :s

é terror amor?
continua cai please *--------------*

amei ><

Mayla disse...

parece filme de terror:)Espero que continue!
adorei teu blog!estou seguindo,
bjos,
mah

Patrícia disse...

aaaaaai que interessante! rs Eu adorei rs

Allan disse...

ooo ficou bom o seu textos hein

parabens mocinha...
abraços

A!!ªN disse...

Ah to te seguindo eu comentei aí em cima

~* Bruna Morais disse...

Muito legal o texto, adorei.

Parabéns pelo blog.
beijos

http://metamorfoserosashock.blogspot.com

taina fischer disse...

nossa amr, que texto perfeito. ficou mt legal *-*
parabéns pelo blog, mtmt lindo (:
to seguindo, segue o meu tbm ? http://alemdasnuvens1.blogspot.com
beijos :*

Day D. disse...

AAADOREI! *-*