·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




quarta-feira, 14 de abril de 2010

Trilha


- Ela é um desastre natural ! - bradou Michelle com as mãos nos cabelos de costas para mim.
- Mih, ela apenas tropeçou. - amenizou Henrique me dando a mão enquanto olhava meu joelho ralado.
- Obrigado. - murmurei ao meu levantar.
Michelle me fitou de mãos na cintura torcendo o nariz com aquela cara de antipatica que ela tinha. O que ela estava fazendo aqui se no final das contas se nem gosta de fazer trilha?
Dobrei meu joelho sentindo uma pequena dorsinha chata que já passaria.
Recebi um sorriso de Henrique e voltei a caminhar ao lado deles mancando.
De alguma forma Michelle tinha razão, eu era um desastre. Em meia hora de 'caminhada' eu consegui cair pelo menos umas quatro vezes tropeçando em raízes que definitivamente eu não via, me arranhava nos galhos das árvores só de encostar nelas e ficava ofegando como se fosse morrer.
- Olha, eu não quero ser chata Maria, mas isso são meus sentimentos por você traduzido em palvras. - contou ela andando na minha frente - E você sabe bem quais são os meus por você.
Sei. Puro ódio.
- Vamos parar com essa implicancia tonta? - pediu Henrique parando Michelle segurando-a pelo braço - Deixe Maria em paz por um minuto.
Ele estava bravo. Estava encarando Michelle com o cenho franzindo, balançando a cabeça.
- Eu deveria esperar por isso! - arfou Michelle desvencilhando-se da mão de Henrique virando-se para mim. - Você sempre consegue a atenção dele, mesmo sendo uma lesada.
- Eu sou lesada? - questionei - É você que está fazendo drama cada vez que vê um mosquitinho.
Foi quando eu a vi ficar vermelha de raiva e levantar os braços. Meu primeiro pensamento era que eu ia apanhar ali e sairia roxa. Mas em vez disso, ela me empurrou.
Não preciso dizer que sou perfeitamente equilibrada, porque se fosse não teria batido o calcanhar em uma pedra e pendido para trás, onde havia uma barranco que dava para um rio e escorrequei.
Rolei o barranco sentindo minhas pernas queimarem ralando na terra e minhas mãos baterem contra uma da pequena árvore a qual tentei me segurar e parei ao bater minhas costas em algo duro.
________________________________
Não é um SUPER conto como havia prometido, mas foi o que consegui escrever.
Tem continuação no sabado.
Até lá!
Não esqueçam de passar no remember the sunshine. e deixar um coments bem lindo no meu post.(little hope).
Frase em cinza é uma parte da música "Last of the american girls" do Green Day;
Em rosinha uma frase da música "O que eu também não entendo" do JQ.

12 medos:

Gutt e Ariane disse...

Não te messa de "foi o que consegui". Não se julgue ^^... Iso é terrivel e qse sempre é injusto! Super bem escrito... Ficamos no aguardo da prometida continuação!

Lôoh Toledo disse...

AMEI CHRIS SAUDADES DAQUI, ASSIM QUE CHEGAR DO SERVIÇO VOU FUÇAR BASTANTE ;DD

ESPERO CONTINUAÇÃO *--*

Sonhadora disse...

Estamos esperando a continuação, tá muito perfeito

carolina disse...

AMEI!

Estou muito anciosa por mais....

Monique Premazzi disse...

Eu AMEI ok senhorita? Nada de "foi o que consegui escrever". Está ótimo e eu necessito da continuação para saber o que vai acontecer com a Maria *-*

Postei a última parte do conto [finalmente], espero você lá depois como sempre <3

AAAA eee boa sorte no Bloinques e OUAT *-*

Bia disse...

Linda história.

Eu achei lá na Livrarias de Curitibas e se quer uma dica, vale a pena comprar sim, é melhor que crepusculo. Só o final é triste.

Gêsa disse...

Gostei do conto. (:

Monique Premazzi disse...

Quero um post novo amigaaaaa [a]

Gardenia disse...

muito bom o conto.

Beatrix disse...

sim sim,era meu o poema.

E,estou no aguardo da continuação do conto.

;*

Carolzinha_Hermanas. disse...

que conto legaaaaaal,ammmmei :)




beeeijinhos;

Thaís. disse...

Ai que ótimo texto! Prendeu-me até o final do mesmo e por favor, não demore a postar a continuação.
Aliás, falando nisso, postei o final do meu conto!