·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




domingo, 16 de maio de 2010

Untitled

- Está certo, o que você quer de mim?

Certo, estava agindo conforme meus instintos e daí? Algo gritava dentro de mim dizendo que ele deveria querer algo em troca, afinal Hathe jamais fora um amor de pessoa e fala sério, querer me ajudar por pura vontade estava fora de cogitação.
- Já que você tocou nesse assunto, - começou ele colocando as mãos no bolso da blusa ao se aproximar de mim - Você podia me arranjar o telefone da sua amiguinha, Juliet.
Era o que me falta, esse neandertal querer o telefone da minha amiga. Realmente ele não tinha cérebro.
Ele devia ter me deixado morrer enquanto pode, porque eu sabia o que estava por de trás desse pedido de meia tigela. Era claro como água. Juliet era dona de um das mais prestigiadas joalherias do país e com toda a certeza ele queria roubar algo de lá. Só pode.
Sabia que ele estava de olho há meses no diamante de sangue que estava em exposição desde o começo do ano, e que seria loucura se arriscar para poder tê-lo. Eu mesma tentei fazer isso e não deu muito certo.
A segurança da joalheria Juliet's é insuperável. Há alarmes em cada centímetro quadrado, sem falar nas câmeras, sensor de respiração - se isso pode existir ela tem - detequitor de movimento, raios lasers programados para funcionar a qualquer sinal de alguém presente fora do horário de funcionamento.
Tudo bem que também já tentei arrancar dela o numero de desativação de toda a parafernália de segurança, mas sabe como são as coisas quando se faz parte da associação de ladrões de Manhatam, você nunca pode ter tudo o que quer.
- Nem pensar! - bradei me afastando quando ele parou a minha frente me encarando com aqueles olhos incrivelmente azuis me raramente me deixavam sem fala - Isso é pedir demais, além de ser loucura e altamente perigoso. Você pode morrer!
- E desde quando você liga para isso? - questionou ele - Pelo que me lembro, desde conheço você, nada te importa além do que conseguir o que deseja.
- Tudo bem. - concordei - Porque eu desejo que você morra!
- Não venha com essa. - pediu ele segurando meu braço - Você não estaria aqui se quisesse que eu morra.
Peguei o celular dele dentro do bolso da camisa, que é um pessímolugar para guardar seja lá oque for e digitei o número de Juliet devolvendo ao bolso de cara fechada.
- Pronto, está ai o telefone. - garanti - Agora se você não se importa tenho de voltar para casa para avisar aos nossos filhos que o pai deles não voltará nunca mais para lá.
Me virei para ir embora quando ele voltou a segurar meu braço com mais força me machucando.
- Isobel, por favor, você sabe que não vou fazer nada que te desaponte.
- É eu sei. - respondi - Porque você já fez ao sair de casa essa noite para roubar esse maldito banco sem me avisar! - berrei em plenos pulmões.
_______________________________
To be continued
Em cinza trecho da música 'What Do You Want From Me'- Forever The Sickest Kids.

11 medos:

Maria Luisa disse...

Ficou muito legal, espero a continuação...

Estou seguindo!
bjos

B disse...

hm, legal, o que será que vem depois? \o/

Fernanda Pessanha disse...

Estou esperando a continuação, gostei do enredo mas o final ficou meio 'eu esperava mais'. Tomara que a continuação seja espetacular, e eu sei que vai.

C. disse...

Oi, eu só passei para avisar que tem selinhos para você no meu blog (:

http://alwaysfallin.blogspot.com/

xoxo' :**

Juh ♫ disse...

Adorei!
Adorei!
Adorei!

Poste logo a continuação, quero saber o que aconteceu com Hathe e Isabel! =D

Camila. disse...

O texto está lindo, boa sorte nessa edição do bloínquês :]

www.menina-normal.blogspot.com

Vitória Silva - @MyRadar_ disse...

Chris, que legal! VOCÊ ME AVISA QUANDO SAIR A CONTINUAÇÃO? por favor, por favor *o*

Giovanna Lundgren disse...

eu fiquei meio perdida, tinha um estória antes? :s
esse é o começo mesmo.
beijos.

Monique Premazzi disse...

AI MAIS UM CONTO PRA MIM MORRER, NÉ SENHORITA? NÃO DEMORE PRA POSTAR A CONTINUAÇÃO *-* EU QUERO MUITO LER.

O nome da principal me lembrou a mãe da Elena em TVD *-* Adorei.

xx

mari ebert disse...

Oi minha colega escritora! Muito obrigada pelos selinhos, eu fiquei realmente feliz que vc tenha lembrado de mim. Falando nisso, vamos trocar links? Estou adorando a história, eu nunca ia sacar que ele era marido dela rsrs adoro histórias de aventura, ladrões, assaltos a bancos, pois é, te espero no meu blog de novo, beijão!

isabela branco disse...

"Era o que me falta, esse neandertal querer o telefone da minha amiga. Realmente ele não tinha cérebro. " AUSHAUHSU euri O_O