·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




sábado, 5 de junho de 2010

Zoey and Cody (2)



- Hei Zoey, o que é isso? – perguntou meu irmão com uma tigela de pipoca na porta da garagem.
- Meu projeto de ciências. – expliquei de costas para ele – É uma replica do carro do filme “De volta para o futuro”.
- Sério Zoey, o que é isso? Papai vai ficar uma fera quando vir o que você fez com o carro dele.
Soltei o ar dos pulmões coçando a cabeça tentando encontrar o melhor jeito de explicar aquilo a ele. Como é que eu podia ter um irmão tão panaca que nem se quer sabe a diferença entre herbívoros e carnívoros? E agora quer dar um de espertinho para cima de mim com essa historia de que ‘papai não vai gostar do que fiz’.
- Estou falando sério, Hathe. É uma cópia idêntica do carro do filme! – bradei nervosa - Senhora Quinsley pediu um projeto de ciências inovador e surpreendentemente fora dos padrões normais.
- E fora dos padrões normais quer dizer lixo na língua dela por acaso? – questionou ele com a boca cheia de pipoca – Por que é isso que esse carro esta parecendo. Uma montanha de lixo.
Não respondi. Apenas fiquei observando-o de cara fechada com as mãos na cintura imaginando quando ele cresceria e por um milagre qualquer ficasse inteligente e pudesse ver que ali na frente dele estava a descoberta do século. Não era apenas uma replica simples. O carro funcionava de verdade meu Deus!
Dei as costas a ele torcendo o nariz de raiva por não acreditar no meu potencial e abri a porta do carro para terminar de consertar o painel de controle do tempo. Mais alguns minutos ali e ele estaria pronto para ser testado e levado para a feria de ciências neste sábado.
- O que você usou para fazer isso ai? – perguntou atrás de mim se referindo ao painel em que eu mexia.
- Seu notboock que ganhou de natal. – respondi ainda inclinada para dentro do carro. – Foi a única coisa que encontrei que fosse me servir naquela zona que você chama de quarto.
- Calma aí. É brincadeira né? Você não usou meu notboock de verdade, usou?
- Talvez. – respondi calma sentindo o nervosismo dele.
Ouvi o barulho da tigela de pipoca quando atingiu o chão e quando sai de dentro do carro, Hathe não estava mais ali atrás de mim fazendo perguntas. Peguei a tigela do chão colocando-a em uma mesa ao lado da porta que estava aberta. Agora eu tinha o feito entender de verdade, dessa vez ele ia acreditar em mim, mas ia ficar muito bravo ao abrir as caixas que estavam de baixo da cama e não encontrar seus presentes de aniversario onde tinha deixado.
- Zoey! – ele gritou.
Finalmente! Só assim iria restaurar a memória de Cody

9 medos:

kaahfreitas disse...

awm, gostei. 0:

isabela branco disse...

gostei. preciso ler as outras.

Camila. disse...

Gostei também, você escreve super bem.
ah, mudei o layout do meu blog,
queria muito sua opinião.
www.menina-normal.blogspot.com
xx

cissabr disse...

Uau, adorei *-*

Thaís C disse...

Adoreei! *-*
E discordo com o seu marca página, não é um conto mal feito, você escreve muito bem! =D

Publicidade de Salto disse...

Gosteeeeeeeeeei!
hahaha irmãos mais novos são tensos!

Beijos, Carol

Camila. disse...

ah, parabéns pelos seguidores,
você merece!

Naty Araújo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Naty Araújo disse...

Eu nunca consigo vir aqui e ler algo parecido com o texto anterior.
É sempre uma inovação.

Ahhh os selos...
Não achei os selos... onde tão?