·

Posso confessar uma coisa?
Amo todos vocês que leem, que acompanham meu blog e que o seguem.
Obrigado aos 206 seguidores pelo apoio que dão ao meu primeiro projeto!
Quatro anos de felicidade!!!




sábado, 23 de janeiro de 2010

Colegial III - final

(Pauta para: Mil Palavras.)
Lá estava eu parada em frente a uma luminaria no meio da praça parecendo uma doida, tentando entender como foi que deixei minha mãe escolher minha roupa. Eu estava ridicula naquele vestido que ela me comprou porque disse que era um milagre eu sair de casa com alguém, principalmente se tratando daquele alguém, depois que contei a ela o que aconteceu. Meus pés estavam prontos para negrosar dentro daquela sandalia estupidamente alta que eu nem sabia anda. Qual era o problema do tênis que eu queria por?
Meu relogio já marcava 20horas em ponto, mas nada do Lucas aparecer. Quem sabe ele se tocou e perceber que querer sair com alguém feito eu era perda de tempo e ligou as presas para as garotas matusquelas, altas e loiras da escola? Era bem provavel e eu não ligaria.
Me reencostei na luminaria para ter onde poder descansar as costas já que latejavam. O que será que estava passando na tevê?
Foi quando o vi na lateral da praça caminhando lentamente até onde eu estava. Ele teve um susto quando me viu, colocando a mão sobre a boca.
- Maristela? - perguntou ele ao parar na minha frente - Meu Deus... eu...nossa! Você está simplesmente...
- Horrorosa. Eu sei.
- Não, eu ia dizer, linda. - corrigiu ele - Chegeui a pensar que iria falar com a pessoa errada.
- Isso é culpa da minha mãe. - contei me indireitando - Ela disse que eu precisava disso, mas eu discordo dela.
- Abençoada seja sua mãe!
Ele sorriu para mim e segurou minha mão me olhando nos olhos. Como ele podia ficar mais bonito a luz daquela luminaria? Sorri sem graça para ele e baixei minha cabeça morrendo de vergonha daquela situação. Eu nunca deveria escutar minha mãe e com toda a certeza de veria ter colocada um simples calça jeans regata e tênis, ficaria melhor e menos palhaça do que estou.
Ele levantou meu rosto olhando-o. Seu olhar estava diferente de antes.
Pude senti-lo se aproximar e sua respiração ficar falha e derrepente seus lábios tocaram os meus suavemente fazendo-me esqueer a dor dos meus pés e minhas costas que latejavam junto com o fato de que me sentia ridícula nequele vestido branco. Não podia acreditar que iso estava acontecendo.
Quando pude olha-lo novamente seus olhos bilhavam. meus coração batia desesperado dentro do peito. Nunca havia imaginado o que se podia acontecer quando alguém te ajuda a não cair na frente de toda a escola.
Isso deveria acontecer mais vezes.
_________________________________________
Finalmente um fim para essa história.
Parte01
Parteii

11 medos:

juliana disse...

pena que já peguei no fim! Mas vou ler o restante da história com certeza. Também não sei me equilibrar em Sapatos de salto

isabela branco disse...

pena que já peguei no fim, adorei seu blog; bem cute *-*

Thiago! disse...

OOOOOOOOOOOOOOOOWNT,morri, com teu texto. simplesmente apaixonante :D cadê, cadê o inicio da historia? D:

jefhcardoso disse...

Quem tem medo de sonhar?

Jefhcardoso de blog em blog

http://jefhcardoso.blogspot.com

Giovanna disse...

que fooooofo *-* adorei.

the pumpkin queen disse...

AH QUE LINDO, quis esperar o final pra comentar, mas eu adorei a cronica inteira. Quisera eu que alguma coisa assim acontecesse comigo RS
Mas eu gostie muito, parabens! :D

xx

Dani disse...

Que história mais fofa! Eu também peguei só no fim, mas adorei! Muito, muito bonitinha!

Bjs

Meu nome não é Johnny disse...

Ai que lindo, história de filme KAÇLKÇAKÇLAK adorei! Lindo seu blog, to te seguindo =]

Millena Blogueira disse...

Linda história!Perfeito seu blog!

Gabriela Magalhaes disse...

ain ficou mto massa a historia,
amiga não deu pra eu comentar no poste de cima, então vim comentar aqui mesmo, :D
sim o teu blog, tá liindo *-* amaaaay :D
beijos amr'

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Que texto mais apaixonado e cativante foi esse em, Chris? Rs'
Parabéns pela criatividade e a doce inoscência de uma criança ao criar esse texto, me fez lembrar uma garota que conheço! ( =

É um prazer poder fazer parte de uma competição onde pessoas tão talentosas também estão!

Fique com Deus!